nome blog

Resenha - Perdão, Leonard Peacock

31 de janeiro de 2017

Oi, bom dia, como vocês estão? Hoje temos a resenha de um livro que vai tratar de um tema bem delicado, o suicídio. O jovem Leonard não está nada satisfeito com a vida que leva, o pai sumiu no mundo, a mãe só se importa com a sua carreira e com o namorado novo, ele não tem muitos amigos, não gosta da escola onde estuda, ele acha que a vida adulto é um tédio, e tem um grande problema com um ex melhor amigo. Uma história que nos traz grandes surpresas a cada nova página. Vem ver o que eu achei dessa leitura. 
SINOPSE: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto. 

LIVRO: Perdão, Leonard Peacock | AUTOR: Matthew Quick | ANO: 2013 | EDITORA: Intrínseca | PÁGINAS: 224 | NOTA: 5/5
Leonard completa hoje 18 anos, e como presente de aniversário ele resolve se presentar com um homicídio-suicídio, ele está decidido a colocar um fim na vida de seu ex-melhor amigo e logo após se matar. Além desse presente, ele também separou 4 presentes para cada um do seus amigos.
Seu pai um ex-cantor famoso, drogado e alcoólatra foi embora para a Venezuela, Linda (é assim que ele chama sua mãe), é uma grande estilista em Nova York e nem por um momento se preocupa com o filho, a única coisa que importa para ela é sua carreira e seu namorado.
“ – Você estava certo. Quando a sua cabeça diz uma coisa e toda a sua vida diz outra, sua cabeça sempre perde.”
Ignorado também por seus colegas de escola, Leonard tem como grande amigo seu vizinho Walt, um velho que ama os filmes de Humphrey Bogart e com quem ele passa a maior parte do seu dia.
Quando acorda no dia do seu aniversário, Leonard só quer acabar logo com o seu plano, mas antes ele precisa se encontrar e presentar todas as pessoas que fazem parte do seu dia-a-dia, começando pelo velho Walt.
Não consegui encontrar nenhuma outra palavra além de ESPETACULAR para descrever esse livro. Como Matthew foi incrível ao nos contar a história de Leonard.
“ O fato de eu viver em um país democrático não garante que minha vida seja livre de problemas.”
Desde o primeiro instante que comecei a leitura já vi que seria uma leitura rápida e bastante envolvente, mas não imaginava que seria tanto. Me envolvi tanto no mundo e nos problemas de Leonard que eu PRECISAVA terminar o livro e saber qual seria o desfecho. Eu precisava urgentemente entender quais os motivos que ele tinha para querer tirar a própria vida e a do ex-melhor amigo.
“ As pessoas pagam por aquilo que fazem, e ainda mais pelo que permitiram se tornar. E pagam por isso de uma maneira muito simples: com a vida que levam.”
Leonard é um personagem muito cativante, não sei se pela narração em primeira pessoa, mas eu me senti como uma amiga dele, me senti próxima a ele. Um personagem muito bem construído, que vai nos contando seus dramas, medos, sofrimentos e sonhos e conforme vamos entrando na vida dele, vamos entendendo todos os motivos pelos quais para ele viver não vale mais a pena.
“ – Minha teoria é a de que perdemos a capacidade de ser feliz à medida que envelhecemos.”
Um ponto bastante interessante e que nos faz envolver mais ainda com a história é as notas de rodapé onde Leonard nos mostra um pouco mais do seu ponto de vista dentro do que ele narra, isso foi maravilhoso para podermos entender mais e melhor tudo que se passava com ele.
Esse de longe foi o melhor livro que li de Matthew Quick, uma história envolvente, tensa, pesada e que nos faz pensar no abraço que não damos, nas palavras que deixamos de dizer e nos sentimentos que não demonstramos. Matthew Quick, obrigada por escrever essa história!
“ – É por isso que estou aqui. Eu não teria vindo se achasse que você não vale a pena.”  
E ai o que acharam da resenha? Já leram essa história? Vamos conversar sobre esse livro? 
Beijos 

8 comentários:

  1. Barbie, que livro pesado! A história parece incrível. Amei os trechos grifados e fiquei curiosíssima no livro. Nossa cabeça é um mistério, né?

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Esse foi o único livro do Matthew Quick que li e foi uma historia que acaba marcando a gente, li ele sem saber do que se tratava e me surpreendi totalmente com esse livro, achei uma leitura densa e forte, mas que ao mesmo tendo nos não conseguimos larga o livro até chegar ao final para descobrir o que ira acontecer com o Leonard !!

    ResponderExcluir
  3. É realmente um tema bem difícil de se tratar. Já venho observando esse livro há um tempo e vendo resenhas bem positivas assim como a sua. A curiosidade de saber mais sobre a trajetória dramático do Leonard e o porque de ele agir assim consigo próprio e com seu amigo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Bárbara, ainda não li nenhum livro que trate do assunto. Parece ser bem reflexivo ao mesmo tempo intuitivo. Gostei muito das citações é um livro que cria um universo que envolve o leitor.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Bárbara, ano passado eu li esse livro e como já tinha lido uma obra do Matthew, pensei que iria gostar também, mas não me conectei muito com a história. É um livro meio pesado por causa do tema que ele aborda, mas não mexeu comigo.
    Beijos
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  6. Que feliz em saber que esse livro te envolveu, porque me dá mais vontade de ler. Acho que quando ler eu também não vou querer parar até descobrir o porquê do personagem querer se matar e matar o amigo. Deve ser uma coisa muito forte pra ele fazer isso.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?
    Gostei da resenha, eu tenho muita curiosidade de ler o livro, ainda não tive oportunidade de ler nenhum livro do Matthew, espero ter a oportunidade de ler esse em breve.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Como é bom a gente encontrar um livro tão incrivel assim! Adoro esse tipo de drama, e me pareceu cheio de lições. Adorei as fotos também :)
    Abraço :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir