nome blog

Melhores quotes de O Diário de Anne Frank |

22 de setembro de 2016

Olá pessoal, tudo bem? Quando li O Diário de Anne Frank fiquei completamente encantada com a forma como Anne via o mundo, e fiz tantas marcações no livro que precisava trazer para vocês. Então bora começar?!


" Eu não me adapto a eles, e senti isso claramente nas últimas semanas. Eles são muito sentimentais juntos, mas prefiro ser sentimental sozinha. Estão sempre comentando que as coisas vão muito bem entre nós e que nos damos muito bem, mas não pensam um segundo no fato de que eu não me sinto assim. "

" Demorou um bocado, mas finalmente percebi que papai, por mais gentil que seja, não pode ocupar o lugar do meu mundo antigo. Quando se trata de meus sentimentos, mamãe e Margot deixaram de contar há muito tempo. " 

" Chorar pode trazer alívio, desde que você não chore sozinha. Apesar de todas as minhas teorias e meus esforços, sinto falta - todo dia e toda hora - de uma mãe que me compreenda. É por isso que, em tudo o que eu faço e escrevo, imagino o tipo de mãe que eu gostaria de ser para os meus filhos no futuro. "

" Sentimos falta de tanta coisa aqui, tanta coisa, e durante tanto tempo! Sinto tanta falta quanto você. Não estou falando de coisas exteriores, já que estamos bem providos delas, mas, sim, das interiores. Como você, anseio por liberdade e ar puro, mas acho que temos sido bastante compensados por essa perda. Por dentro, quero dizer. "

" A gente não faz ideia de como mudou até que a mudança já tenha acontecido. Eu mudei de um jeito radical, tudo em mim é diferente: minhas opiniões, minhas idéias, a visão crítica. Por dentro, por fora, nada é igual. E posso afirmar com segurança, já que é verdade: mudei para melhor. "

" Não tenho dinheiro nem posses terrenas, não sou linda, inteligente nem esperta, mas estou feliz e pretendo continuar assim! Nasci feliz, adora as pessoas, tenho uma natureza estável, e gostaria que todo mundo também fosse feliz. "  

" Uma das muitas perguntas que me incomodam é porque as mulheres eram vistas, e ainda são como inferiores aos homens. É fácil dizer que isso é injusto, mas não basta; realmente gostaria de saber o motivo dessa grande injustiça. "  

"  Estou explodindo de raiva, mas não posso demonstrar. Gostaria de gritar, bater os pés, dar uma boa sacudida em mamãe, chorar e não sei o quê mais por causa das palavras horríveis, dos olhares de ironia e das acusações que ela me faz dia após dia; coisas que me furam como flechas lançadas por um arco muito retesado e que são quase impossíveis de serem retiradas de meu corpo. Gostaria de gritar com mamãe, com Margot, com os van Daan, com Dussel e com papai também: " Me deixem em paz, deixem que eu tenha pelo menos uma noite sem chorar até dormir com os olhos ardendo e a cabeça latejando. Deixem que eu vá embora, embora de tudo, embora deste mundo! ” Mas não posso fazer isso. Não posso deixar que eles vejam minhas dúvidas, nem as feridas que me causaram. Não consigo suportar sua simpatia ou seu escárnio bem-humorado. Isso só me faz ter mais vontade de gritar.    Quando falo, todo mundo acha que estou querendo aparecer, que sou ridícula quando fico quieta, insolente quando respondo, inteligente quando tenha uma boa ideia, preguiçosa quando estou cansada, egoísta quando como um pouquinho mais do que deveria, imbecil, covarde, calculista e outros adjetivos. O dia inteiro só ouço dizerem com sou uma criança irritante, e apesar de rir e fingir que não me importo, eu me importo, sim. Gostaria de pedir a Deus que me desse outra personalidade, uma que não criasse antagonismos com todo mundo.     Mas isso é impossível. Estou presa ao caráter com o qual nasci e, mesmo assim, tenho certeza de que não sou má pessoa. Faço o máximo para agradar a todos, mas do que eles suspeitariam num milhão de anos. Quando estou no andar de cima, tento rir porque não quero que vejam meus problemas.     Mais de uma vez, depois de uma série de repreensões absurdas, falei rispidamente com mamãe:     - Não me importa o que você diz, Por que não lava as mãos? Eu sou um caso perdido. Claro que ela diz para eu não responder e me ignora durante dois dias. Depois, de repente, tudo é relevado e ela me trata como trata todo mundo.     Para mim, é impossível ser sorridente nu dia e venenosa no outro. Eu preferiria o meio-termo de ouro, que não é tão dourado assim, e guardar para mim meus pensamentos. Talvez algum dia eu trate os outros com o mesmo desprezo com que me tratam. Ah, se pudesse! "
Sua Anne





E ai gostaram? Se vocês quiserem mais posts assim deixem no comentário que eu providenciarei outros bem legais. De quais quotes vocês mais gostaram? Já leram o livro? O que acharam?
Beijos

6 comentários:

  1. Oi Bárbara
    Só posso dizer uma coisa sobre esse post.Obrigada.♥♥♥
    Eu li esser livro em 2013 e anotei em um caderno alguns quotes dele e eu não sei aonde esse caderno foi parar e ai esta na sua lista de quotes alguns deles (provavelmente todos) Vou anotar tudo.

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que ótimo que eu te ajudei <3 fico feliz por isso, esse livro é maravilhoso e não tem como não marcar 200 quotes HAHAHAHA
      Beijos

      Excluir
  2. Gente, como eu amo esse livro! Dá vontade de escrever todos os quotes num caderninho e reler sempre que bater a saudades. Lembro que li faz muito tempo, ainda em época escolar - eu era a melhor amiga da biblioteca municipal - e até hoje me emociono ao lembrar da história. Adorei a seleção de quotes.
    Um beijo!
    www.janeladesorrisos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é maravilhoso! De emocionar mesmo, vale muito a pena grifar cada parte do livro <3
      Beijos

      Excluir
  3. Bárbara eu já estou com esse livro para ler. E eu amei as frases que você escolheu !!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito! Me identifiquei com várias dessas citações. Li O diário de Anne Frank há muito tempo, quando tinha 15 anos, e morro de vontade de ler de novo, mas preciso comprar porque na época li emprestado! kkkk
    Não lembro de muita coisa do livro, mas sei da importância desse relato (apesar de já ter lido também outros diários reais de garotas que viveram na Segunda Guerra). Espero algum dia poder reler!

    ResponderExcluir